Comportamento alimentar de crianças com transtorno do espectro autista

uma revisão integrativa

  • Tamyres Maiara Gasda Ielusc
  • Juliana Testoni Dos Santos Rengel Faculdade Ielusc
  • Camila Cristina Debortoli Faculdade Ielusc

Resumo

Definido como um transtorno do neurodesenvolvimento, o Transtorno do Espectro Autista – TEA – é caracterizado por déficits na comunicação verbal e não verbal, interação social e um repertório de comportamentos restritivos e repetitivos que se pode observar também, no comportamento alimentar. Crianças que pertencem ao Espectro Autista apresentam uma característica marcante, consumindo pouca variedade de alimentos e sendo resistentes às novas opções. Isso ocorre por diversos fatores, podendo ocasionar a desnutrição e/ou obesidade. Na infância, cerca de 25% das crianças neurotípicas apresentam algum problema alimentar de forma significativa, número que pode ainda aumentar para 80% quando se fala do comportamento alimentar de crianças com transtorno do neurodesenvolvimento como o TEA. No Brasil, dados estimados através de um estudo apontam uma prevalência de 1:360 para Transtorno do Espectro Autista. No entanto, estima-se que esse número esteja subestimado. A prevalência nos dias atuais em alguns países alcançaram 1% da população. Conhecer as publicações acadêmicas feitas no Brasil no período de 2011-2020 sobre o comportamento alimentar de crianças com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA). O presente estudo se trata de uma revisão integrativa da literatura, através de artigos selecionados das bases de dados: Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD); Biblioteca virtual em Saúde (BVS) e National Library of Medicine (PubMed), através dos descritores: Transtorno do Espectro Autista (D000067877); Comportamento alimentar (D005247) e Seletividade Alimentar (D005247) no período de 2011-2021, no idioma em Português (BR).O trabalho foi composto por seis produções acadêmicas que se mantiveram após seguimento dos critérios de inclusão. Destas, 66,6% (n=4) eram dissertações de mestrado e 33,4% (n=2) artigos de periódicos. As produções científicas apresentadas utilizaram de metodologias variadas, tratando-se predominantemente de estudos transversais de cunho qualitativo, com estudos de casos e interações com as crianças ou responsáveis. Sendo exceção uma revisão sistemática. Constata-se através desse estudo que comportamento alimentar de crianças com Transtorno do Espectro Autista está associado aos alimentos que a ela são oferecida durante o seu desenvolvimento, sendo acompanhados de comportamentos seletivos e restritivos, com predomínio de resistência em experimentar e incluir novos alimentos, variedades limitadas e problemas comportamentais durante a refeição como cuspir, vomitar ou empurrar o prato. Nota-se a necessidade de estudos mais aprofundados e recentes abordando a temática, considerando a escassez de estudos encontrados frente a toda produção científica elaborada no país.

Publicado
2023-10-14
Como Citar
GASDA, Tamyres Maiara; DOS SANTOS RENGEL, Juliana Testoni; DEBORTOLI, Camila Cristina. Comportamento alimentar de crianças com transtorno do espectro autista. Redes - Revista Interdisciplinar do IELUSC, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 93-106, out. 2023. ISSN 2595-4423. Disponível em: <http://revistaredes.ielusc.br/index.php/revistaredes/article/view/161>. Acesso em: 17 abr. 2024.
Seção
Artigos